POVO DA ESQUERDA

Escrito por Médium Lisia Lettieri
Avalie este item
(0 votos)

“Ele pode não ser santo, mas diabo ele não é!”

Diabo, mulher da rua, entidades atrasadas, espíritos inferiores que fazem tudo o que lhes for pedido. Essas e outras tantas denominações similares são usadas pelos que desconhecem o que realmente representam os nossos queridos e veneráveis Exus e Pombagiras de Umbanda. 

Eles são espíritos que se dispuseram a usar uma roupagem que, muitas vezes, assusta ou diverte quem tem a permissão de vê-los.  Foram interpretados anos atrás por praticantes de outras crenças como sendo a personificação do mal. Afinal, na época da colonização do Brasil, era necessário que se denegrisse o culto afro na tentativa de catequizar os negros e, assim, torná-los povos fáceis de serem dominados ideologicamente. Essa é uma visão errônea que até hoje se tenta desmitificar.

Conhecidos como a linha de trabalho espiritual que está à esquerda da cruz, Exus e Pombagiras, ao contrário do que se pensa, são espíritos muitos antigos e de alta elevação espiritual, que aceitaram a missão de lidar com os assuntos terra-terra, de cunho mais material, por isso usam um linguajar mais cotidiano e informal, eles escolheram fazer a proteção de lugares, pessoas e dos trabalhos mediúnicos.  Trabalham em esferas astrais densas, resgatando os espíritos que precisam de socorro e evitando o caos nos mundos umbralinos, o que resulta numa maneira de conversar mais direta e que muitas vezes nos desperta algum sentimento que precisamos melhorar.

Pensando nos locais em que eles atuam e no tipo de trabalho que executam, torna-se compreensível a roupagem que assumem para cumprir os desígnios da Lei. Sim, os exus machos e fêmeas recebem ordens dos planos superiores e as obedecem à risca. Isso nos diz que exu não executa o mal, mas sim as Leis Divinas. Ele é executor de Lei e neutro, imparcial, e, mesmo sendo um espírito com a função de proteger, ele jamais vai evitar que os obstáculos de nossa vida aconteçam, pois isso seria infringir as Leis de Deus e atrasar nossa evolução. 

Por lidarem tão de perto com energias densas, eles são mestres na arte de desfazer as demandas e a magia negra. Seus trejeitos, as risadas, o vocabulário diferenciado, as danças, o marafo (cachaça) e a champanhe, entre outros, são elementos que eles manipulam para deixar a energia do ambiente ou do consulente mais leve.

Agora eles não parecem mais tão assustadores assim, não é? Então, desconstrua a denegrida imagem dos exus e Pombagiras e abra seu coração para os mistérios divinos que esses amigos espirituais podem te oferecer. Laroyê!

Mais nesta categoria: EXÚ: O GRANDE ARCANO NA UMBANDA »